Pesquisar este blog

24 de outubro de 2018

ÚNICA



Você e a vida
Tantos caminhos
Tanta estrada
E nada
Nenhuma chegada
Nem outra partida,
Nada
Apenas você e a vida
E nossa jornada
Fadada
A não se encontrar
Sem saber
Sem experimentar
Teu beijo
Beijar
Amar.

Mas veio
Numa noite
Um devaneio
O pensamentoSe fez cheio
Do desejo
Em palavras
Soltas, jogadas
Sons d'almas
Transformadas
Em quereres
E aqueles
Que eram seres
Da solidão
Tornara-se
Desejo e paixão.


Voamos
Para o devaneio
Em versos
No universo
Dos amantes
Amamos.
E tudo que era para ser
Foi
Você veio
Como deusa
De meu querer
E fui teu
Como só teu 
Poderia ser.

E tudo se foi
Numa noite de amor
Tão linda
Quanto única
E finda
nunca acabou
Porque ficou
Em mim
Esta história 
Sem fim.

Magnus 24/10/2018

19 de outubro de 2018

O CÃO COVARDE



O CÃO COVARDE

Um dia me via
Diante da brutalidade
O covarde?
Se escondia.
Enquanto eu bradava
Eu lutava por ele e por mim

No fim ...
Eu morri

Hoje, bem aqui
Os filhos da covardia
Têm coragem de bradar
Que a luta não teve sentido.
Nunca haverá sentido em se lutar
A quem não compreende a liberdade
E esta gente bradará
Até se acovardar.

O cão covarde só late
Quando o chicote está longe
Ou quando o dono manda.
(amanhã quero ouvir o seu latido)


mAgNuS 19/10/2018


16 de outubro de 2018

INVIVIDA


VIDA INVIVIDA

Tudo que escrevi
Vivi e não vivi
É sobre mim
E sobre ti
Sobre o que vi
Sem viver
O que senti
Sem ver
Sobre este tempo
Que me foi dado viver.

Então cada poesia
É uma biografia
De uma vida que vivi
E DE outras tantas vidas
Invividas.

Magnus 16/10/2018

15 de outubro de 2018

MEMÓRIAS INVIVIDAS



Tenho memórias
São senhoras
De meus tempos ... 
hora e horas
brisas, ventos
Sorrisos, lamentos
Que se escreveria
em letras e poesia.
Alguma utopia.

Memória invivida
Tem vida
Ainda assim,

Metáfora de mim
E de Ti
Do que vivi
Sem viver
Poderia ser
Ter sido
Não houvesse eu
Fugido
Ou persistido

Outra utopia
Outra poesia
Vivi
Em cada verso
Um universo
Aqui
Poderia ter ido
Fui
Vivi
Estas vidas
Que hoje relembro
Em memórias invividas.

Magnus 15/10/2018

25 de setembro de 2018

DESEJO DE NÃO IR

              

Vou não querendo ir
Quero você, alongar
O tempo, e ficar
Mais um pouco aqui
Ter mais um pouco de ti
Pra meu coração sorrir.

Vou, tenho que ir
Mas o desejo é de não
Não partir, não sair
Não negar
O desejo ousado
Da alma que não querer ir
Do corpo de querer ter
Você ... para mim, querer
Em mim, você, aqui.

Magnus 25/09/2018


21 de setembro de 2018

NÃO CANSO DE TE OLHAR


Não canso de te olhar

Cada traço, pedaço, passo
Como um menino me faço
E me pego a sonhar ... 

Encanta
Uma palavra na garganta
A alma canta
Calada
Diz nada
Nem precisa falar
A alma diz pelo olhar.

Te olho em contemplação ...

Não,
Não me canso de te olhar.

Magnus 21/09/2018



21 de agosto de 2018

CEBOLA


CEBOLA

Ao descascar a cebola
Fez-se a lida minha,
Camada por camada
E ao final o que tinha?
Só cebola.

Sem miolo, sem mistério
Apenas mais outra camada.
Sem caroço, sem sementes
Ao final o que havia, nada!

É uma cebola, a vida
(em camadas, vivida).

Magnus
21/08/2018

20 de julho de 2018

ÁS VEZES (sometimes)




ÁS VEZES
(leia ouvindo Everybody Hurts)


Às vezes a lágrima vem.
Às vezes estamos sozinhos
Com nossa alma
E a lágrima vem
Às vezes em nossos caminhos
Com nossas pedras
A lágrima vem.

Viver não é sofrer
Mas às vezes a lágrima vem
Para lembrar
Das dores do viver
E que a dor pode bater
Na porta de qualquer um.
E vai entrar.

Neste dia temos que aguentar
Porque a lágrima vai secar,
Porque a felicidade está
Em todos os outros dias comuns
Em que a vida vai seguir
Em que o sol vai nascer
E a chuva cair
E em que poderemos ser
Apenas uma alma que sorri.

Às vezes haverá lágrimas
No resto do tempo, felicidade.

Magnus 20/07/2018 

11 de julho de 2018

DUALIDADE


DUALIDADE

Mr Hyde e Dr JekyllO íntegro e o vil.
Há em cada um
Mais que um
Talvez mais que dois
Alguns.

Somos dualidade
Ou multiplicidade
Numa só alma.

Vivo comigo, meus temores,
E meus fantasmas
São eles meus senhores
Ou deles sou o senhor?
Há que se saber quem te dirige:
Se o mal ou o amor.

Nos caminhos da vida, nesta peleia
Por vezes luto contra o mal em mim
Por vezes, contra o mal que me rodeia.

O primeiro, hei de vencer
O outro, me afasto se perder

Sempre há uma opção
E uma escolha do que
Vai habitar o seu coração.

Magnus 11/07/2018

NÃO ADIANTA PEDIR PERDÃO


NÃO ADIANTA PEDIR PERDÃO

De que adianta dizer perdão
Se o passado se foi
E os dias não voltarão?

Então não direi mais perdão
Tentarei seguir
E mudar o que está por vir. 

Nossa história é linda
Mesmo com alguns erros 
Há muito amor ainda

Nossa história é linda
Mesmo depois de tanto tempo
O amor está aqui ainda.

O passado não há como mudar
Há que esquecer ou recordar
Dependendo do que foi bom ou não.

Então não há que se pedir perdão
Vamos, que está na hora
Há um outro dia para se viver
E este dia é agora

O tempo segue em frente
(não espera)
A lágrima seca
E o grande amor precisa da gente!

Magnus
11/07/2018.

25 de junho de 2018

JÓIAS


JÓIAS

Pouco importa se não se pode lembrar
Há uma eternidade para esquecer
E algumas poucas jóias para levar.
Seja joia
Aí, então, quero que você
Me faça nunca mais te esquecer.

Magnus 26/06/2018


13 de junho de 2018

AMOR À LUA



AMOR À LUA

A cada dia uma dúvida:
Quanto tempo vou me esconder.
A cada dia uma certeza:
Amo você.

Sigo num dilema inexistente
Sei que sou teu,
Teu incondicionalmente
E que você nunca me perdeu

Então conto cada lua
São muitas e é uma
Amo a lua
E não há tempo que a dilua

Alma nua
Caminhos, ruas
Cada passo perpetua,
O amor à lua
Mais quantas luas
Para eu me entregar à Lua?

Magnus
13/06/2018

Dia dos Namorados


DIA DOS NAMORADOS

Ao meu lado
Segue comigo
Talvez mais amigo
Do que namorado

Quem te escolheu
Para seguir meu chão,
Foi razão ou coração
Quem te elegeu?

Em minha estrada
Há quem me siga
Talvez mais amiga
Do que namorada.

Quem te elegeu
Para me dar a mão

Foi a paixão ou a razão
Quem te escolheu?


Sei!!! Sei não
Comodidade ou paixão
Conveniente a direção
Que "desescolheu" o coração.

Magnus
13/06/2018

12 de junho de 2018

NAMORADA




NAMORADA

Vejo em você
O que sonhei ter
E o que meu coração quer,
Um rosto de menina
Alma feminina
No corpo de mulher
Então me ensina
Os caminhos para 
A alma da menina
E o coração da mulher.

Hei de caminhar devagarinho
Por qualquer caminho
Para te encontrar
E ao final desta caminhada
Te ver minha, minha namorada.

Magnus
12/06/2018






1 de maio de 2018

POEMA DOS DOIS SÓIS



POEMA DOS DOIS SÓIS

Há dois sóis a brilhar
No horizonte desta nação
Um que só faz iluminar,
Outro, da destruição.

Ironia,
Em pleno dia
O sol é da escuridão

O povo merece não
Outro tempo de escuridão
Não há quem engula
Indisfarçada encenação
Mentira em aluvião
Que, afinal, enclausura.

Sois um dos sóis,
O que brilha
E luta
O outro, é o filha 
Da gruta
Que manipula
Não brilha,
Macula.

 A ironia
É que parte do povo
Alheio ao dia
Quer a  escuridão
Como se houvesse
Outra opção
Ao verso do inverso da razão.

Não há outra opção!
A justiça é o dia,
O ódio, a escuridão
A justiça mora na luz
Moro não.

Magnus 01/05/2018
Dia do trabalho.   

21 de março de 2018

O Passado em Você



O PASSADO EM VOCÊ

As vezes quero resgatar o passado
Em você
Não sei se ainda há
O que resgatar
Lembro você
E todo o nosso amor
Mas o tempo passou
E somos outras pessoas
Em outro tempo
Há outro você em você
E não sei se há o que reviver.


Talvez seja uma ilusão
Mas, talvez não.
Talvez a tua presença
Te reencontrar
Nos faça voltar
E a todo o nosso amor


Magnus
21/03/2018



3 de março de 2018

ALZHEIMER


ALZHEIMER

Queria que não fosse
Mas você foi não indo
Na nave de teu ser
Dirigindo?
Quem dirige você?

Ainda te vejo
Sem te ver
Ainda te beijo
Mas não beijo você.

Tua alma habita
O ventre de teu ser
Mas a minha, aflita
Alma, não encontra você.

Posso te ouvir
Sem entender
Posso te ver
Sem reconhecer
Eis, verdadeiramente
Esta tua presença ausente

Quero te ouvir dizer
Um conselho, um bronquear 
Um benquerer
Quero apenas encontrar 
Algo aí que ainda seja de você

Ida sem volta
Nesta estrada
Que não se escolhe ir
Você caminha
Sozinha
E nós tentamos te seguir.

Magnus
03/03/2018







DEMORA


DEMORA

Aos poucos vou embora
Cada noite é mais longa
É longa esta demora
Não, não é espera,
É mesmo demora.

Já estou acostumado
Com a ausência ao meu lado
Tudo não é mais o que era
Nem a espera é espera
Nem conto mais os dias
Noites cheias são vazias
Nem com o amanhã sonho mais ...  

Mais do mesmo
Mesmo de nada
Estrada sem destino
Sem parada
Você é um rumo distante
Para onde não sigo mais
Seguia uma paixão
Hoje sigo em paz.

Magnus
03/03/2018

15 de janeiro de 2018

CORES


CORES

Levo você em mim
E me levas em ti
Como cores a se tocarem
Mesclarem, mudarem.

As cores, jamais iguais
Nunca mais
Terão o tom de um dia
Seja bom ou ruim
Algo de mim em ti
E de ti em mim

Carregamos novas cargas
De amor e dor ...
Nunca teremos a mesma cor
A cada dia outro ser nos habita
Neste viver eremita.

Magnus 15/01/2018

13 de janeiro de 2018

VOCÊ E O RIO


VOCÊ E O RIO
(Aparecida)

Você nunca entrará
Duas vezes no mesmo rio
Quando voltar
A água não será a mesma
E você já será outra pessoa
Nada será o mesmo
Eu, o rio, você, o mar, a lagoa.

As águas do passado
Não existem mais
O passo muda a alma
Tudo estará mudado,
A água turbulenta
E a água calma.
Não sei se o rio segue a esmo
Mas sei que nada segue o mesmo.

A cada anoitecer morre um você
Para outro renascer
Novo rio a desaguar
No mesmo novo mar.

Que sou, quem és?
Qual rio?
Pergunte-me amanhã
O que era hoje já partiu.

Magnus 13/01/2018

Marcadores