Pesquisar este blog

15 de janeiro de 2018

CORES


CORES

Levo você em mim
E me levas em ti
Como cores a se tocarem
Mesclarem, mudarem.

As cores, jamais iguais
Nunca mais
Terão o tom de um dia
Seja bom ou ruim
Algo de mim em ti
E de ti em mim

Carregamos novas cargas
De amor e dor ...
Nunca teremos a mesma cor
A cada dia outro ser nos habita
Neste viver eremita.

Magnus 15/01/2018

13 de janeiro de 2018

VOCÊ E O RIO


VOCÊ E O RIO
(Aparecida)

Você nunca entrará
Duas vezes no mesmo rio
Quando voltar
A água não será a mesma
E você já será outra pessoa
Nada será o mesmo
Eu, o rio, você, o mar, a lagoa.

As águas do passado
Não existem mais
O passo muda a alma
Tudo estará mudado,
A água turbulenta
E a água calma.
Não sei se o rio segue a esmo
Mas sei que nada segue o mesmo.

A cada anoitecer morre um você
Para outro renascer
Novo rio a desaguar
No mesmo novo mar.

Que sou, quem és?
Qual rio?
Pergunte-me amanhã
O que era hoje já partiu.

Magnus 13/01/2018

10 de janeiro de 2018

TE VER BEM


TE VER BEM

Bom te ver bem
Há que se entrar neste trem
E seguir a jornada
Cada estação
A carga fica mais pesada
E mais valiosa
A cada superação
Somos um novo ser
Com novos mundos para se conhecer

Bom te ver bem
Bom saber que entrou neste trem
E não ficou na estação
Lá só o passado tem lugar
A frente, quem sabe o que esperar?
Então resta seguir
Buscar o sorriso e sorrir
E ficar bem, amém!
É muito bom te ver bem!!!

Magnus 10/01/2018

3 de janeiro de 2018

ANO NOVO


Ano Novo

A que distância está o futuro?
Tudo continua escuro
Após o findar dos fogos
Se não se muda
O próximo segundo,
Quem dirá mudar o mundo.

Sem ação
Esperança é um sentimento vão
O desejo bom
Não passa de desejo
Sem ação.

O próximo segundo
Continuará sendo passado
Não se muda o mundo
Revivendo a omissão.

O próximo badalo
Ecoa um som
Do sim ou do não
Em cada coração
(temos opção)

Tic-tac, omis-são
Omis-são, Omis-são
Qual será o som
Do badalo de nosso coração
No próximo ano novo,
No próximo dia novo
No próximo segundo?
Será velho ou será novo?
Deixará como está
Ou mudaremos o mundo?

Magnus 03 de janeiro de 2018.




23 de dezembro de 2017

TEMPOS EM QUE A SAUDADE É MUITA




Ruth Bernhard Photography: Eternal Elegance



TEMPOS EM QUE A SAUDADE É MUITA

Há dias que vão
Vão indo
E eu seguindo
Os dias que parecem em vão,
Mas não são.

Tem tempos que a saudade
Vem me visitar
Em algum certo lugar
Quando ando pela cidade
Ela vem
Me trazendo alguém.

Tempos em que a saudade
É muita.
E nada tem a ver com felicidade
A felicidade está na paz
De todos os dias
A saudade está
Nas horas em que você
Vem me visitar
Vestida de recordação
Dos tempos em que a felicidade
Era uma canção
Te olhar
Estar ao teu lado
O tempo parado,
Você, eu e a paixão!!!

Nestes tempos em que a saudade é muita
Nem reclamo
Porque revivo o amor,
Porque ainda TE AMO!!!

Magnus 23/12/2017

20 de dezembro de 2017

EM SILÊNCIO


EM SILÊNCIO

Quero  te dizer para vir
Entrar em meu mundo
Descobrir
O toque em sua pele
Seduzir
E depois em silêncio
Te ouvir
Respirar
Te sentir
Tocar

E depois em silêncio
Ficar
Recusar partir
Prolongar
Cada instante
Eterno presente
Que irá acabar ...
Acabar em silêncio
O que em silêncio
Deve ficar.

Magnus 20/12/2017

DESCAMINHO


DESCAMINHO

Ah, este teu caminho,
Mulher!!!
Ainda segue sem destino
Tentar ir, 
Para onde nem quer.
Apenas continua a seguir
Este rumo sem plano
Este diário desengano.

O amor é teu rumo
Mas ama quem?
Se o destino não tem prumo
Nem seu coração.
Espera vir alguém
A quem chame de Salvação.

Mas este alguém
Nunca que vem
E se veio, passou
Sem notar, sem parar
Sem ficar.

Ah, este teu caminho, 
Mulher!!!
Vem que te ensino
A domar o destino
E viver a paixão ... 
Te mostro a direção
Te descaminho,
E depois te solto para ir,
Descobrir teu destino (de mulher)
E seguir.

Magnus 20/12/2017

8 de dezembro de 2017

Ninguém Ama Ninguém


Ninguém Ama Ninguém

Ninguém ama ninguém
Não sou ninguém,
Amo alguém.

Amo quem
Disse amar ninguém
Mas amou alguém 
(um dia)
Foi alguém
Hoje, ninguém.

Estou me tornando ninguém
Aos poucos, aquém
De quando fui alguém.
(plenamente).

Neste vai e vem
Quero voltar
A ser alguém
Mas dependo de alguém
Também deixar
De ser ninguém.

Magnus
08/12/2017

9 de outubro de 2017

DESEJO


Sou o desejo que não cede
A sede que não pede,
Toma.
Sou o desejo que vê
O horizonte como menino
E o infinito como destino

Sou só este desejo
Que quer você, já
Porque o tempo vai passar
vai
passar.

Magnus 09/10/2017


PORTA FECHADA



A porta está fechada
Não posso entrar
Não tenho nada
O que fazer aqui,
Não posso entrar
Não posso voltar
Nem posso seguir.

A porta está fechada
Para o desejo
Não tenho nada 
O que fazer aqui
O que vejo?
"Proibido seguir!
Proibido sentir!"

Meu desejo desconhece fachadas,
Portas fechadas
A moral
O ser do bem ou do mal
Desconhece o proibido
(até se alimenta dele 
e nele pode ter crescido)
Não sabe parar
Diante da porta fechada,
Só abrir ...
Só seguir ... 
Só sentir!

Magnus 09/10/2017





20 de setembro de 2017

O TELEFONE


O TELEFONE

E aí o telefone tocou
Quem era eu sabia
Me fiz não saber
Querer queria
Te ouvir, te ver

Sensação de paixão
Alma no coração
Uma canção
Outra canção
Confusão
É isso assim
Que dá em mim
Só de pensar
Em te ver ...
Nem imagino então
Te beijar
Te tocar ...
Te ter.

Imagino sim!
Um universo a girar
Em mim
Voa alma
Flutua no ar
Num voo
Sem direção
Rumo a sonhos loucos
Sem rumo
Guiado pela paixão.

Magnus
20 09 2017

13 de setembro de 2017

ANAGRAMA


ANAGRAMA

Como não sei dizer
Como minha timidez
É maior que minha coragem
Inventei um anagrama
Pra falar de quem ama
A quem amo
Quem amo
Pois em "roma" eu vivo cada dia
Esperando um "riso", um teu sorriso
Que encerre a agonia
Desta minha espera
Para nosso impreciso paraíso.


Magnus 13/09/2017


TUA CANÇÃO



TUA CANÇÃO

Quando te vi
A primeira vez
Foi assim:
Confusão dentro de mim
Nuvens loucas no céu
Fumaça londrina
"fog", neblina
Vertigem, palpitação
Som, insano são
Canções, canção
Tocando sem parar
Dentro de minha mente
Você em mim totalmente
Tua voz, tua canção
Tocando e tocando e tocando
E tocando meu coração.

Magnus 13/09/2017



23 de agosto de 2017

CAMINHOS DIFÍCEIS


CAMINHOS DIFÍCEIS

Há caminhos tão difíceis
Como um teorema sem solução
Pedras e abismos,
Aclive, escuridão.

Ainda caminho
Nestes tempos
Caminho sozinho
É meu passo e meu destino
Um fardo e um caminhar
Que não posso compartilhar.

A dor é solitária
"Eu já escrevi  isso outrora
Agora, apenas uma reafirmação"
Esta imensa solidão
De seguir cada um a sua vida
Com seus fantasmas
E sua dor e sua ilusão.

Afinal, vida é um sonho
Do qual às vezes acordamos.

Magnus 23/08/2017


18 de agosto de 2017

PERFEIÇÃO DO IMPERFEITO




PERFEITO

O que trago no peito
O que é benfeito
O que é bem-feito
O que é bem feito,
Feito com jeito
Mal entendido (desfeito)
O que foi aceito
O leito
(do amor)
Tudo, de bom ... perfeito!!!

Perfeito
É tudo de bom
E nem precisa ser perfeito
Um defeito
(pequeno)
Um desajeito (sem consequência)
Um beijo roubado
(veneno)
Tudo perfeito.

Magnus 27/04/2017

17 de agosto de 2017

DIA DOS PAIS (Cris e Joaquim)


DIA DOAS PAIS
(Cris e Joaquim)

Ele levantou cedo para me esperar
Sabia que eu viria
Como sempre, neste dia
Para abraçar ... 
Abraço forte de quem ama
Abraço de quem se deixa amar
Abraço de quem sabe:
Um dia só vazio para abraçar
Lágrima 
E este abraço para lembrar.

Este dia passou, ficou lá atrás
O abraço vazio chegou
Há esta imensa falta e a paz
De quem abraçou tudo que deu
Para hoje, o vazio poder abraçar.

Magnus 17/08/2017

17 de julho de 2017

AMOR PURO



Que Deus permita-me sonhar
Me apaixonar
Viver um grande amor
Depois acordar
E continuar
Querendo amar o mundo
Todo mundo
Todo o dia
Todos os dias

Quero o amor simples
Singelo
Ousado
Perigoso
Complicado
Seguro, inseguro
Proibido
Mas sempre puro

Quero conhecer gente
Irritantemente pura
Indecentemente pura
Docemente pura
E viver
Tocar a vida
Num mundo assim,
De gente
Totalmente ... do bem!!!

... E você, vem?

Magnus 

12 de julho de 2017

ALGUÉM QUE ME FAZ SORRIR



ALGUÉM ME FAZ SORRIR

Há quem me faça sorrir
Pelo simples fato de existir

Às vezes, navegando por aí,
Nas memórias de ti
Uma simples imagem faz minha testa franzir,
Meu olhar quase fechar,
Minha boca criar covas no rosto
E aquele delicioso gosto
De um sorriso espontâneo e meu
A se esparramar

Às vezes apenas a lembrança tua,
E teu jeito lindinho de ser
Ás vezes um som, um local
Um app ou uma rede social
Me fazem lembrar você.
Não precisa de amor
Nem de paixão
Basta o carinho e um pensamento
Um momento, uma breve recordação
E aí vem a tal sensação ...
Algo que não sei explicar.
Só sei que esta tua presença em mim
Me faz sorrir assim!!!

Magnus
12 de julho de 2017

28 de junho de 2017

AS FOMES



Condenada é sua existência
Se não sabes a diferença
Entre fome e merecimento
Qual a pena de se nascer
Em berço miserável?
Desculpa, culpa
Não há lupa
Que te faça ver
Que ninguém pode merecer
fome ...

Fome de quem tolera a fome
É jejum de consciência
Não há decência 
Em quem vomita raiva
Preconceito e intolerância.
Há quem nem saiba que tem fome
(alienado).
É a inanição de humanidade
Que mata a alma e gera a fome.

A fome da ignorância é opção
fome, não

Magnus 28-06-2017


A CULPADA


Tua beleza é culpada
Se te quero
E não consigo
Ser teu amigo
Não fique magoada
Porque este querer meu
Não tens culpa
Nem eu
Não se escolhe desejar
Nem amar, nem desamar
Só acontece como aconteceu!!!

Magnus 28 06 2017


26 de junho de 2017

O ESPELHO



O ESPELHO

O teu espelho não consegue revelar
A mesma beleza que reflete
O espelho do meu olhar.

O olhar do rigor
Não pode enxergar 
O que vê o amor.

Magnus 26/06/2016


DOIS HORIZONTES



Você é parte saudade
Parte algo que não acabou
"tempos bons" de um lado
De outro, algo que sequer foi provado

Tem dias que confronto a saudade
Enfrento a tempestade
Do tempo em mim
Nestes dias, no fronte
Dois horizontes
Um, alcanço, outro, não tem fim.

Magnus 26/06/2017

Marcadores