Pesquisar este blog

23 de maio de 2015

homofobia



Homofobia
(produzido para um concurso com tema: homofobia)

Meu corpo é minha prisão
Moram comigo
Alma e paixão
Todos femininos,
Eu não.
Fosse outra a vontade de Deus,
Feminino, eu
Estaria na mesma prisão
Morariam comigo
Mesma alma e  mesma paixão.

Meu corpo é minha nau
Navegam comigo
Alma e paixão,
Todos femininos,
Eu não ...

Magnus 23/05/2015

11 de maio de 2015

Contradição


CONTRADIÇÃO


Esta beleza
Tem por trás de si
Discreta tristeza
Que mesmo quando sorri
Não se pode esconder.

O que teus lábios rosados,
Num sorriso contido, calados
Não querem revelar,
Teu olhar
Não consegue esconder.


Em ti
Certo mistério existe
Tua boca sorri
E teu olhar é triste
Sorri a razão
Não, o coração.

Magnus 11/05/2015

TEU OLHAR


TEU OLHAR

Teu olhar é
Prisão
Olho-te
E me torno escravidão

Quero ser escravo
E quero não
Quero desamar
E quero paixão.

Teu olhar é
Prisão
Cerro os olhos
Continua a te ver
O coração.

Magnus 11/05/2015

CLAUSURA


CLAUSURA

Sou clausura
De um amor que destenho
Foi-se sem fim
Deixou-me à procura
Não do amor,  de mim.

Magnus 11/05/2015

JOGO DOS DIAS


JOGO DOS DIAS

Jogo o jogo dos dias
Dou um dia que sei
Por outro que saberei
(ou não)
Jogo de dar a vida
Em gotas findáveis
Segundo a segundo
Vou caminhando
Para o fim de meu mundo.

Não sei se há algo
No amanhã findável,
Depois do osaco
Nem depois do amanhã
Num renascer improvável

Meus queridos insistem em partir
Uns, abruptamente
Outros, despedindo-se
lentamente.
E se vão
Não aprendi a dizer não
Mas ainda que dissesse
De nada adiantaria
Eles se vão, simplesmente se vão.

Jogo o jogo da vida
Dos dias e do tempo
Esta caminhada
Foi uma dádiva divina
Que me foi dada
E assim foi me dado
O dom de viver este jogo.

Não há o que ganhar
Nem o que perder
Viver por si só é vencer
Ainda que pareça
Que cada dia é de perder
(copo meio vazio),
Ou cada dia é vencer
(copo meio cheio).

Neste jogo, venci
Cada dia aqui
É um néctar a saborear
Dias de amar
E despedir
Dias de sonhar
E acordar.
Neste jogo venci
Ainda que meus dias acabem aqui.

Magnus 11/05/2015

VIVER



VIVER

Tenho que o viver é um dilema
Incógnita, claro!
Jamais, problema.

O dilema está no caminhar
Para onde ir,
Qual lugar?
Onde a pedra está,
Onde vamos parar?

Tropeçar, sofrer
Adoecer, perder
Não são um dilema,
São consequências do viver
Afinal, dilema ou problema
Foram feitos para se resolver
E vida, para se viver. 

Magnus 11/05/2015

Marcadores