Pesquisar este blog

20 de novembro de 2016

DESABANDONO


DESABANDONO

Não é abandono
É apenas sono
Não é abandono
Porque em meu sonho
Te desabandono
Se não tenho aqui
Em meus sonhos você está
E é minha pelo tempo
Que eu puder sonhar.

Magnus
20/11/2016

18 de novembro de 2016

VAMOS?



Vamos?
Não sei porque
Ainda estamos assim
Eu aqui
E você ... 
Aí. 

Vamos
Porque descobri
Que preciso de você aqui
Ou, se preferir, eu aí.

Vamos
Porque temos esta vida para viver
Eu e você

O tempo? Não vai esperar
Meu coração é teu
(Desde que te conheci)
Vem me amar
Vem, que ainda estou aqui.

Magnus
18/11/2016

13 de novembro de 2016

CIDA



CIDA

Do tempo, pouco resta
Há uma presença ausente
Numa viagem ao esquecimento
A festa
Se resume, como um presente
Num sorriso, num momento.

Resta-nos a própria lembrança
Para tornar vivo este amor unilateral
E a vã esperança
De fazer voltar
O que parece ter chego ao final.

Então por fim, temos este amor
Retribuído dia-a-dia em compaixão
No silencioso grito de quem ama
E sofre nesta solidão
Da alma que ama sem saber correspondida
Como a destas que te amam, Cida.

Magnus
13/11/2016
Para Cida, sogra e mãe querida, em seu aniversário.

12 de novembro de 2016

ELEMENTOS


ELEMENTOS

Com ou sem poesia
Há sempre musa e poeta
E uma melodia
A ser descoberta.

Estão por aí
Elementos desta magia
Sentimento, Inspiração
Musa, Poeta e Verbo
Prontos para se tornar poesia
Quiçá, canção. 

Hoje, levantei inspiração
Agora sou poesia
A quem ler, canção.

Magnus
12/11/2016 

10 de novembro de 2016

A FOME DEFINE O HOMEM


A FOME DEFINE O HOMEM

Quando digladiam razão e coração
Não há como prever o vencedor
Maior consciência?
Menor pudor?
Certo ou errado?
Que importa, no final
Não é o lado, 
É somente o momento
Que tua vida tem passado
Afinal, é a fome
Que define as razões do homem.

Magnus 11/11/2016

TE QUERER


TE QUERER

Quando uso o coração,
Te quero
Quando, a razão,
Quero também,
Se deixo a vida me levar,
Quero mais ainda.
Então, se paro para pensar,
Se, não,
Em qualquer situação,
De tudo que consigo pensar em querer,
Só penso em você.

Magnus 
11/11/2016


9 de novembro de 2016

DILEMA


DILEMA

Qual desejo proibido
Não é um dilema?
Teoria ou teorema
Querer e ter
Ou sonhar o querer?

Decide-se, então
Se manda o coração
Ou a razão
Se ousadia
Ou solidão
Retidão ou redenção

Todo desejo proibido
É um dilema
Responda ao coração
Se quer viver ou não.

Magnus
09/11/2016

8 de novembro de 2016

BOCA


BOCA

É a boca que celebra o beijo
Acolhe, concede,
A boca que toca, sente, cede
Portal da alma e do desejo

Boca, da sede, é via
Onde a sede se cria e se sacia,
Via dos suspiros e gemidos
Dos sussurros perdidos
Na noite de paixão 
Via do verbo, do querer
E da sedução.

Magnus
08/11/2016

"DESFUGIR"


DESFUGIR

De você, fujo na contramão
Fujo em sua direção,
Assim, desfugindo de medo
Medo do segredo
Que o desejo quer inventar
E tento escapar me entregando
Indo para o lugar
Onde você está!

Magnus 08/11/2016

7 de novembro de 2016

Noite de Luar


NOITE DE LUAR

Noite de luar, nem precisa de luar
É a luz do encanto que se faz iluminar
Como amante ao luar
Sem sequer estar
Distante, mergulhado em desejos
De quereres e de sonhar.

Magnus
07/11/2016

PAZ


PAZ

A felicidade é paz
Dos dias sem dor
Dias de monotonia
Ver bem quem se quer bem
Dia após dia,
A simplicidade
A alegria da alegria
Sem tempestade
Sem histeria.
Apenas a paz simples
De mais um dia.

Magnus 07/11/2016 

IMPREENCHÍVEL



IMPREENCHÍVEL

Este amor perfeito me deixou
Em seu lugar ficou
O leito seco de um rio,
E um enorme espaço lotado
De um impreenchível vazio.

Magnus
06/11/2016



Marcadores