Pesquisar este blog

28 de setembro de 2014

NEGRINHO

NEGRINHO


O tempo caminha em silêncio
Estou aqui
Um dia a mais
Uma hora a mais
Um segundo a mais.
Estou aqui
Porque caminhei com o tempo
Dias de guerra, dias de paz

Sou um soldado do destino
Depois de dez, depois de vinte,
Depois de trinta ou de quarenta anos
Do menino.
Sofrer, sonhar, chorar, amar
Palavras do mesmo enredo
Parece sempre cedo
Para ir
Mas sempre temos que seguir
Para algum lugar.

Eu só queria reverter a lei
Desaprender o que aprendi
"Dessaber" o que sei
E voltar ... 
Jogar bola na rua
Pipa no céu, bola de gude
Bater figurinha, carrinho de rolemã,
Brincar de esconde
E sonhar ...
Que num dia distante,
Serei gente grande.

De manhã, quero acordar
Com o latido do negrinho
(que nunca soube onde foi parar)
Fazer pista de carrinho
Feito de lata
Tomar café com meus irmãos
Brigar pela nata
Do leito fervido
E sonhar ...
Com um futuro perdido
Que tenho certeza, nunca iria chegar.

Magnus 28/09/2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É importante saber sua opinião. Obrigado, Magnus

Marcadores